segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Dica dedicada (parte I)): MÃE: ser ou estar?

Olá!

Todo mundo tá de férias...mas como dizia minha mãe (e eu também digo aos meus) "Você não é todo mundo!"
Mas...e as mães? Elas tem direito a tão sagrado descanso?
Acredito que a partir do momento em que descobrimos que temos um serzinho dentro de nós, esse descanso passa a ter outro sentido.
Porque a vida nunca, nunca será mais como era antes.
Sou mãe de três. Ou quatro (pois ser mãe de bicho também conta!). Mas vamos nos ficar com os três primeiros.
Uma princesa e dois princípes. Minha vida. Meu tudo.
São tantas lembranças...tanta coisa pra contar dos últimos 12 anos. Eu tinha 24, agora quase 37...
E eu quero falar de como é ser mãe hoje, das angústias e delícias desse trabalho que dura 24 horas por dia, 365 dias no ano,sem remuneração (em dinheiro)...de como a gente se dedica do momento que levanta até na hora de dormir...e de madrugada também!
Me sinto mãe. E levo essa tarefa a sério. Porque é a maior responsabilidade que um ser humano pode ter. Trazer ao mundo e educar um ser que vai ser a continuidade da gente...um pedaço do nosso coração que vai continuar batendo fora do nosso peito mesmo depois que não estivermos mais aqui.
Em cada fase da vida dos filhos a gente sente emoções diferentes.Algumas passam, outras são eternas. Observar quando estão dormindo e agradecer por eles é algo que até hoje eu faço e me emociona. Um beijo e um abraço de bom dia. "I love you,mom.Good night" e muitos beijos são um presente diário na hora de dormir. "Mãe, deita um pouquinho comigo?" "Faz um leitinho para mim?" "Coça as minhas costas?" "Faz aquele docinho de coco ou uma nega maluca?"
Impossível resistir!
Ser mãe pra mim é assim...estar aqui digitando e prestando atenção no que eles estão assistindo, conversando, comendo...que já deveriam estar dormindo...que amanhã vou acordar todo mundo bem cedo pra irem para cama mais cedo também...e acabar deixando que durmam até as 11...
Cada mãe desempenha seu papel de um jeito diferente. Umas trabalham fora, outras não. Eu já vivi as duas situações. Hoje trabalho em tempo integral. Desempenho várias funções. Sou relógio,motorista, cozinheira, conselheira, massagista, educadora,professora de inglês particular, conserta-tudo, cabelereira...
Fico feliz com as conquistas deles na escola...e angustiada quando eles revelam algum sentimento de mágoa ou tristeza...
Sou uma mãe má muitas vezes...digo "não" quando é preciso...eles choram, fazem birra, se jogam no chão? Muuuuitas vezes!
Cometo erros? Com certeza...e vou consertando, ajeitando aquilo que ficou fora do lugar, que ainda precisa ser melhorado...
Sou brava? Hummm...já fui mais! Respiro fundo, analiso a situação e  nos entendemos.
E todo dia a gente vai se entendendo...e se descobrindo...e se amando cada vez mais...
Já é bem tarde..agora vou levar meus amores pra dormir...ajudar a escovar os dentes, lembrar que tem que ir ao banheiro...dar e receber muitos beijos e abraços...
Bom, só sei que tem assunto pra muitas horas...e mais postagens...
A gente logo,logo volta a conversar sobre isso!
Beijo com carinho e dedicação (de mãe!)
Postar um comentário